quarta-feira, 4 de setembro de 2013

Consumo consciente versus Blogueiras e Leitoras

Imagem retirada do site Mundo Open Door

Olá, garota!

Depois de me casar, comecei a ver a vida de uma forma bem diferente. Minhas prioridades mudaram, meus hábitos de consumo, principalmente, tomaram outro rumo. Se antes do casamento o dinheiro que recebia pelo meu trabalho era meu somente, hoje é nosso, para pagar as nossas contas e nossa diversão também, por que não? Se antes minha mãe me dava de tudo, hoje preciso me lembrar que a responsabilidade de comprar até o shampoo diário é minha.

Vendo minhas contas, percebi que ainda tenho os maus hábitos de solteira: gastar muito com maquiagem, produtos para cabelo, frescurinhas, lanches na rua e etc. Não que eu não possa mais gastar comigo... mas não posso mais gastar SÓ comigo, quando tenho o apê, reforma esperando, contas que não param de chegar. Tenho vontade de fazer grandes mudanças em minha "casa", mas isso só será possível se começar a poupar dinheiro e as mil compras nas lojas de beleza precisam diminuir.

Com essas questões na cabeça, comecei a rotina de leitura de feeds. Li um post no Blogueira Shame - coisa que nunca faço porque não gosto de dar "ibope" pra esse tipo de blog, mas vá lá... nesse dia o título me chamou a atenção - que mostrava a indignação de uma suposta leitora à uma blogueira que, pelo que consta, faz muito jabá (post pago, publipost). Essa tal leitora esculhambava a blogueira, dizendo que gostava dela e dos seus looks, mas que estava cheia dos posts pagos, de propaganda, e que esses posts promoviam o consumismo exagerado das leitoras. Bem, era mais ou menos isso que a leitora dizia, mesmo que não com essas palavras.

Fiquei encafifada com isso, sabe? Comássim que a culpa era da blogueira??? Gente, era uma mulher adulta escrevendo, um ser pensante, livre, pela forma que escrevia pode-se dizer que esclarecida, educada. E ela dizia que a culpa das leitoras comprarem sem pensar era da blogueira. Que uma criança ou um adolescente seja influenciado e até manipulado para comprar algo de que não precisa, a gente até entende. Mas uma mulher adulta e inteligente comprar algo só porque viu em um blog é demais para a minha cabeça. Existem blogs aos montes, de assuntos variados, com ou sem propaganda, persuasivos ou não, mas a não ser que o blogueiro use mensagens subliminares, não tem como ele manipular a decisão de compra de alguém. Isso me soa como desculpa esfarrapada para se livrar da culpa.

Eu compro, compro muito mais do que preciso ou deveria, mas compro porque eu quero, porque eu decido gastar. Se vejo um produto muito bom em algum blog, propaganda, tv, rádio, internet ou o que seja, e compro, essa compra foi decisão minha. É o que meu professor de Sociologia perguntou em minha primeira aula da matéria no curso de Comunicação Social: "A propaganda cria necessidades ou desejos?". Não sei até hoje, mas tenho certeza que a propaganda não coloca uma arma em minha cabeça e me obriga a comprar algo. Ela pode fazer com que eu fantasie que serei mais bonita/amada/querida/elogiada/apreciada se comprar um produto? Sim, com certeza. Mas apenas uma pessoa fraca ou doente, como no caso do comprador compulsivo, não consegue resistir aos apelos de um chamado publicitário.

Em Marketing (outra matéria do curso), aprendi sobre a Pirâmide de Maslow.
"A hierarquia de necessidades de Maslow, também conhecida como pirâmide de Maslow, é uma divisão hierárquica proposta por Abraham Maslow, em que as necessidades de nível mais baixo devem ser satisfeitas antes das necessidades de nível mais alto. Cada um tem de 'escalar' uma hierarquia de necessidades para atingir a sua auto-realização."
Fonte: Wikipédia 

Seria mais ou menos assim:

Imagem retirada do site Gestão Nossa de Cada Dia


  • necessidades fisiológicas (básicas), tais como a fome, a sede, o sono, o sexo, a excreção, o abrigo;
  • necessidades de segurança, que vão da simples necessidade de sentir-se seguro dentro de uma casa a formas mais elaboradas de segurança como um emprego estável, um plano de saúde ou um seguro de vida;
  • necessidades sociais ou de amor, afeto, afeição e sentimentos tais como os de pertencer a um grupo ou fazer parte de um clube;
  • necessidades de estima, que passam por duas vertentes, o reconhecimento das nossas capacidades pessoais e o reconhecimento dos outros face à nossa capacidade de adequação às funções que desempenhamos;
  • necessidades de auto-realização, em que o indivíduo procura tornar-se aquilo que ele pode ser.

Não é difícil de ver onde nossas comprinhas de beleza se encaixam, né? Quase no topo da pirâmide, nas necessidades de estima. O problema é que tem muita gente que passa por cima das outras necessidades para ter roupa bonita, perfume caro, acessórios de marcas famosas. Tem gente que deixa de almoçar para poder comprar uma bolsa. Mora em lugares perigosos e afastados, mas só usa roupa de marca. Mas será que isso é culpa da propaganda, das revistas, da tv, dos blogs e blogueiras? Ou o consumidor anda pirando na batatinha e enfiando o pé na jaca?

Reflita...




Beijos;





28 comentários:

Mulher sem Photoshop disse...

Gi...isso dá pano pra manga, rs
Daria pra fazer um blog inteiro só com tudo que esse assunto implica. De qualquer forma, vemos as pessoas hoje comprando o que não precisam com o dinheiro que não tem, pra mostrar pros outros alguém que elas não são. Mais ou menos isso.
Eu entendo que as blogueiras tem tanta culpa quanto uma propaganda na revista ou a atriz na TV, quando começam a ter um poder de persuasão sobre a leitora, mas que no final das contas a decisão é do consumidor, sim, é. Mas nem todas as pessoas estão preparadas pra isso, é fato, tem gente se endividando pra pagar maquiagem!
Vou parando por aqui senão escrevo outro post no comentário!!!
Bjo,

Luciana

Veronica Pelinca disse...

Oi Gi, concordo com você e com a Luciana Vilela. Não acho que uma propaganda ou uma resenha "obrigue" ninguém a comprar qualquer coisa ou produto, porém existem sim pessoas com essa doença "compulsão" e principalmente, por comprar. E que depois perde-se o interesse pelo produto comprado. Conheço várias pessoas assim, e é muito triste. Beijocas

Thaís Andrade disse...

Oi Gi, concordo com tudo que você disse. As pessoas parecem ter necessidade de culparem as outras (no caso blogueiras) dos seus impulsos consumistas. Como ser humano, eu tenho vontade de comprar aquele produtinho luxo que vi em resenhas, mas depende muito da pessoa que resenhou pra me persuadir a comprar. Não confio em qualquer resenha e tampouco vou vender um dos rins pra pagar aquele perfume que custa os olhos da cara. Falta bom senso e vergonha na cara das pessoas assumirem seus pequenos erros.
Adorei o post. Como blogueiras, somos, de certa forma, mal vistas, por acharem que temos vida de princesa e que não ralamos pra ter as coisas e viver de jabá. Algumas até vivem assim, mas a maioria são meras mortais como nós.
Parabéns! :)

Hélen Bezerra - Mundo da Helen disse...

Pois é amiga estava pensando nisso outro dia, quando alguém me ofereceu um produto do qual não me interessei e ela ficou tentando me convencer de que eu tinha que comprar, independente de outras coisas...sabe isso me irritou demais, quando digo que não quero, não preciso sei do que estou falando, já comprei coisas influenciadas por blogs ou propaganda mas fui eu quem decidiu que precisava/queria aquele produto...Agora gente que pensa que tudo isso influencia o consumismo é cabeça fraca na minha opinião.
Beijos amiga!

Kelly Margareth disse...

Então, eu sou viciada em blog de unhas principalmente, nail art etc. A maioria dos blogs que sigo é em relação a unhas, e alguns sobre beleza de uma forma geral. Muitos esmaltes que eu vejo as blogueiras usando me dá vontade de ter, ás vezes eu acho bonito, compro e acabou jogando ele e nem utilizo, só que eu tenho uma consciência: eu não posso comprar nada caro. Eu vejo blogueiras COMPRANDO esmaltes importados ás vezes de mais de 80 reais e acho um absurdo. Compro aos poucos de acordo com minha condição e vou anotando. As placas também compro de acordo com minha condiçao sabe. Roupas e afins eu vejo anunciando pelas blogueiras achar bonito, vontade de comprar até dá, mas vou numa loja mais em conta e tento achar algo legal, uma combinação que eu vi e tento ajuntar de acordo com o que posso.
Eu tinha uma conhecida minha que ela só comprava roupa de marca, digo marca em relação a lojas que são mais caras do que a gente comprar em lojas que não tem nome conhecido, pequenas, bem baratinhas mesmo sabe? Ai eu fui na casa dela, sinceramente pensava que era uma casa grande, bonita, móveis e tal...só que chegando lá a casa era no tijolo por dentro e por fora, tinha pouquíssimos móveis e a situação bem precária sabe...e ela simplesmente desfilando com coisas de "marca" só pra dizer que comprou a roupa em uma loja conhecida e tal. Então eu acho que todo mundo tem que ter sim algo bom e se sentir bem com aquilo mesmo não tendo tanto dinheiro e mil contas pra pagar. Mas tem que comprar de acordo com a condição de cada um. Eu sempre vou dividindo, po esse mês compro uma sandália, outro mês uma bermuda, outro mês uma saia, outro mês uma maquiagem, outro mês um brinco e assim vou caminhando, até porque tenho outras prioridades. Os blogs dá até vontade de você comprar, mas se quer algo que o blog amostra por exemplo a pessoa tem que ter na cabeça da condição que ela tem, principalmente alguém que tem um marido, filhos etc. Ano que vem eu vou me casar, então os gastos já to cortando desde agora pra ajuntar mais e mais, ano que vem vou comprar algo raramente se eu realmente estiver precisando. Por fim, é realmente pessoas de cabeça fraca, porque como se segurar um pouco em relação ao consumo excessivo

Village Beauté disse...

A crítica aos blogs pq incitam ao consumismo deveria ser feita ao qualquer comunicação, então... Se a fala da menina lá do blog da vergonha fosse "para valer" nem entre amigas poderíamos falar: "olha, experimentei e vi que..."

Maduras. Conscientes e equilibradas. SIm! :)

Jana Valadares disse...

Dona Xuxu matando as colegas de orgulho :D \o/ (clap!) Enfim, concordo com o que você disse culpar os outros é muito fácil. Sim somos influenciados por tudo que nos rodeia, se é censura vamos então cancelar as publicidades na tv, nos jornais, nas revistas e na família. Nada de comentar o que comprou com as primas...ai ai ai. É Dona Xuxu sempre levo como máxima: Vivendo e aprendendo a jogar, nem sempre ganhando, nem sempre perdendo, mas aprendendo a jogar...
Beijos
Jana

Anônimo disse...

Mas vamos combinar, tem blogueira que diz que comprou e que achou o máximo,kkkk,gente tá na cara que ela ta fazendo jaba e não sinalizou, essa que você citou nem vou mais no blog dela,desculpe mais são poucos blogs que eu respeito,eu gosto do blog da Shame acho que deveria ter mais trabalhos como o dela.Continuo acreditando que existe blogueiras de verdade, mas tem aquelas que pelo amor,não credito nem pagando,principalmente as mais ricas.

Brunna Ricelly disse...

Oi Gi! Muuito bom você falar disso aqui no blog! Realmente tenho que concordar com você, o poder de decisão da compra é nosso e não podemos jogar a culpa pra cima de outra pessoa!
Mas, a verdade é que as pessoas estão cada vez mais consumistas, compram e compram muitas vezes sem poder e não podemos negar que os blogs, assim como outros meios de comunicação, tem sua parcela de culpa- porque querendo ou não incitam esse consumismo - mas daí atribuir toda a culpa aos blogs, não acho justo!
Enfim, esse assunto é muito complexo e muito bom pra ser questionado !

beijos,

Achados da Brunna

a Frahn ;D disse...

Falou tudo Gi! Acho que as pessoas estão muito acostumadas a delegar a própria culpa. É muito fácil colocar a culpa do seu consumismo na propaganda, só que ao fazer isso as coisas não melhoram. As coisas melhoram quando se reconhece a própria culpa e muda o que há de errado.

Eu acho que é tudo questão de prioridade, você está sentindo a necessidade de diminuir as compras de beleza porque, ao se casar, suas prioridades mudaram. Agora você tem outros gastos que, para você, são mais importantes.

Eu estou as voltas com o financiamento da minha casinha. Moro com a minha mãe (com 3 anos de casada) e é muito duro, mas vai valer a pena porque vou ter a minha casa, desde já vivo comprando coisinhas de decoração. Eu gasto com maquiagem muuuuito menos do que gastava antes de começar a ir atrás do financiamento, mas ainda quero make boa, ainda é importante para mim, mas em menor quantidade.

Acho um assunto complicado, mas a culpa é sempre de quem compra. Compro porque EU quero, se EU exagero, EU preciso me controlar. Como estudante de direito preciso dizer que a leitora não sofreu coação irresistível por parte da blogueira kkk.

;*

Mivian Macedo disse...

Reclamam mais vão atrás do glamour, as blogueiras que moram la fora fazem mais sucesso por conta dos produtos que usam. E seguem elas quem tem vontade de tudo isso. Cada um sabe da sua dificuldade ou facilidade de ter produtos. falar que compra por influencia, desculpa mais a pessoa tem que ter a cabeça muito fraca para isso. Vou pular da ponte porque a outra blogueira pulou? kkkkkk
Como sempre o post está perfeito!!
Beijinhos amore!

Jackeline Monteiro disse...

Nesse ponto acho que sou mais tranquila. Faço lista do que preciso e o que quero. Ganho muitos presentes e isso faz com que gaste menos comigo. Minha renda é baixa e despesas altas no momento, então paro e penso se posso comprar algo que vi no Blog. Bjs
comqueroupavouparaigreja.blogspot.com.br

Larissa Rehem disse...

Compartilhando o post em 3, 2, 1... fui!
#fujadaluzxú!

Agora fala sério: esse foi um dos melhores ensinamentos que o noivo transmitiu!!
kkkkkkkkkkkkkkk

Falando sério eu curti o post! A galera tá muito louca nas compras e acabam abrindo mãos de coisas essenciais para ter coisas fúteis!

Beeeeijos Xúuu!!

Gi Lizarda disse...

@Mulher sem Photoshop
Com certeza, Lú!

Uma das minhas dificuldades ao escrever esse post foi justamente delimitar o assunto para não ficar confuso demais. Mas é difícil, viu? Envolve muita coisa e muitos outros problemas, contudo, acho que consegui escrever a minha opinião sobre o assunto satisfatoriamente.

Concordo que muita gente tem "a cabeça fraca" e não consome com inteligência e/ou pelo menos cuidado, mas o caminho não é culpar outrem por nossas debilidades. Não mesmo!

Adoro comentários gigantes! hehehe

Beijãããão.

Gi Lizarda disse...

@Veronica Pelinca
Certíssimo, Tomatinha!

Doença é doença e, nesse caso, com ou sem propaganda o consumo existe e é preocupante. Mas no post eu falo sobre pessoas normais que gastam ás turras e depois culpam propaganda/tv/revistas/blogs. Isso aí é que é sacanagem!

Beijo beijo.

Gi Lizarda disse...

@Thaís Andrade
Infelizmente é assim, Thata. A pessoa reprova o consumo exagerado, sabe que não é algo bom e, por isso, joga a culpa na propaganda. E como os blogs agora tb são canais de propaganda... nos tornamos vilões! Lamentável...

Beijo grande.

Gi Lizarda disse...

@Hélen Bezerra - Mundo da Helen
Não é uma loucura o que estamos vivendo agora? Muito fora da realidade culpar os outros pelas suas decisões ruins, não é mesmo?

Abraço apertado.

Gi Lizarda disse...

@Kelly Margareth
Olá, Kelly!

Pois é... vc tem a consciência de que o seu consumo é responsabilidade inteira sua. Mas isso não é o que ocorre com muitoa leitora/espectadora por aí. Não devemos nos abismar com o que as blogueiras gastam, o que compram e o que vestem... se a nossa realidade não é igual à delas, não há sentido de tentar levar a mesma vida e fazer os mesmos gastos. Mas acho que quem tem juízo sabe disso e tb não culpa a blogueira se realmente quiser fazer uma compra mais cara.

Bisous.

Gi Lizarda disse...

@Village Beauté
Então, Dâmaris... tb acho! É muito fácil jogar a culpa em outra pessoa ou meio de comunicação.

Beijos, beijinhos e beijocas.

Gi Lizarda disse...

@Jana Valadares
hahahaha Que isso... que nada!

Influência é uma coisa... culpa e responsabilidade são outras. É preciso assumir a responsabilidade pelas atitudes que tomamos!

Beijão no seu ♥.

Gi Lizarda disse...

@Anônimo
Sim, existe mesmo. E isso é um erro grande das blogueiras, já que a lei exige que esse tipo de post seja sinalizado. Ainda assim, se fizer uma compra baseada em um post, publipost sinalizado ou não, ainda assim a decisão é minha e não da blogueira.

Não concordo sobre o que escreveu sobre a Shame. Ela avacalha muito as blogueiras e o blog dela é bem ruinzinho, com muito pouco conteúdo e muita zoação desnecessária. Têm blogueiras que ela mesma assumiu que pega no pé pq não gosta. E falando sobre gosto... cada um tem um. O que pode ser feio para a Shame, pode ser bonito para outras pessoas. Zoar alguém pq achou feio ou exagerado é errado, já que o belo é um conceito abstrato e que depende das experiências de vida de cada um.

Mas enfim... o direito de gostar é seu e tb não posso dizer nada sobre isso, pois gosto de coisas estranhas que talvez vc não aprovaria.


Abraço e beijos.

Gi Lizarda disse...

@Brunna Ricelly
Não é bem parcela de culpa, Brunna, mas sim influência. Mas cadê a personalidade das pessoas, e firmeza tb, na hora de parar e pensar antes de comprar? Ah não... precisamos assumir SEMPRE a responsabilidade pelos nossos atos.

Obrigada pela participação.

Beijocas.

Gi Lizarda disse...

@a Frahn ;D
Concordo, Frahn. É justamente isso: as pessoas delegam culpa à outras e isso é idiotice. Pq se vc não assume suas ações e erros, nunca vai mudar e melhorar nada.

De economia e sacrifícios a gente entende bem, né? Tudo por um bem maior! ^^

XOXO

Gi Lizarda disse...

@Mivian Macedo
Isso vale mesmo para tudo, Miviam!

O pessoal daqui uns dias vai culpar as celebridades tb, né? Elas usam, eu tb quero usar e a culpa é delas que se mostraram nos meios de comunicação. Ora... faça-me o favor! Isso comigo não cola!!!


Mil beijos.

Gi Lizarda disse...

@Jackeline Monteiro
É isso o certo a se fazer... não assumir sua culpa e dificuldade em economizar, pedir ajuda, organizar os gastos... são os primeiros passos para um mudança de vida, de controle do próprio umbigo.

Besos.

Gi Lizarda disse...

@Larissa Rehem
hehehe
Obrigada, xú!

Vi o seu compartilhamento no Twitter. Muito obrigada por divulgar!

Espero que minhas leitoras parem e pensem melhor antes de se jogarem em compras desastrosas ou desnecessárias.

#Amotu
#saudadona
#beijonapontadonariz

Nadiele Rosa disse...

Gi eu concordo com o seu ponto de vista mas eu como uma pessoa consumista que sou muitas vezes sou influenciada a comprar produtos que eu não preciso e acabo nem usando. Não acho que seja culpa das blogueiras - até porque eu entrei no blog da fulana porque eu quis - mas culpa minha mesmo por estar num meio aonde somos bombardeadas com lançamentos atrás de lançamentos. Também casei recentemente estou tentando mudar de postura - mesmo nunca ultrapassando nenhum limite financeiro - porque preciso focar no meu futuro, na minha casa, no meu carro e não apenas em maquiagens atrás de maquiagens. No meu caso estou tendo um progresso, sempre me pergunto se irei precisar do produto e estou parando de comprar porque está no promoção ou porque vem brinde... enfim,só queria dizer que numa sociedade que estimula o consumismo os blogs acabam sendo mais uma ferramenta para dar um empurrãozinho, vai mesmo de cada um saber o que cabe no seu bolso...
Beijos

Gi Lizarda disse...

@Nadiele Rosa
Então, gata, foi exatamente o que escrevi no post... existe a influência, tanto pelo lado dos blogs quanto pela mídia em geral, mas isso não quer dizer que a culpa do consumismo seja da blogueira ou dos meios de comunicação.

Somos mulheres adultas e inteligentes. É justo que assumamos nossas responsabilidades e não tentemos culpar outros por nossos fracassos. ^^

Beijinhos.

Confira também:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...